Neste 1º de Maio, mais do que nunca precisamos sair às ruas em defesa dos direitos trabalhistas e da democracia ameaçados pelas forças conservadoras que buscam o poder político da nação a qualquer preço. 

Este domingo terá como centro a resistência, ante às ameaças iminentes da retirada de direitos em um eventual governo de Michel Temer/Eduardo Cunha (PMDB). A interferência direta dos setores dominantes e conservadores apoiando e financiando grandes estruturas de mobilização que pregam a derrubada de um Governo legítimo, eleito democraticamente por mais de cinqüenta e quatro milhões de brasileiros, tem o claro objetivo de interromper o ciclo de mudanças e de inclusão social iniciado em nosso país.

A FIESP, Cunha e Temer são os principais articuladores deste Golpe e declaram explicitamente que desejam um governo alinhado com seus interesses que visam suprimir direitos consolidados como o 13º salário, 30 dias de férias, a política de reajuste do salário mínimo e sua vinculação aos benefícios e pensões do INSS, pretendem generalizar as terceirizações e permitir a renúncia de todos os direitos garantidos a 73 anos na CLT, bem como acabar com projetos sociais que retiraram da linha de pobreza mais de 40 milhões de brasileiros.

Por tudo isso, neste 1º de Maio, precisamos estar nas ruas para defender os direitos dos trabalhadores e a CLT, precisamos estar nas ruas para defender a democracia que tanto lutamos para conquistar, precisamos estar nas ruas pelos direitos sociais que ajudaram o povo a ter uma vida mais digna.

Neste 1º de Maio vamos às ruas, como os mártires de Chicago, que ao final do século retrasado, já deram uma grande demonstração de luta e resistência para defesa de nossos direitos.

Todos juntos neste 1º de Maio no grande Ato Político e Cultural em Porto Alegre, no Parque da Redenção, a partir das 10hs da manhã. Os trabalhadores e povo não aceitarão o rompimento do estado democrático de direito e o retrocesso social e trabalhista que as elites dominantes querem impor à sociedade brasileira.

Nossa palavra de ordem é RESISTÊNCIA E LUTA!

*Guiomar Vidor é presidente da Federação dos Empregados no Comércio de Bens e Serviços do RS e presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no RS.