Quinta-feira, 11 de agosto, é o Dia do Estudante, mas também será marcada pela manifestação em defesa da democracia, do sistema eleitoral brasileiro e por eleições livres, convocado por movimentos estudantis, centrais sindicais, movimentos populares e entidades da sociedade civil em resposta à escalada golpista do presidente Jair Bolsonaro (PL).


A concentração terá início a partir das 8h, em frente ao Colégio Estadual Júlio de Castilhos, mais conhecido como Julinho, no bairro Azenha. Depois os manifestantes sairão em marcha até o Campus Centro da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Às 11h, está prevista a leitura da “Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito”, que será feita em atos que acontecerão em todo o país. O texto elaborado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) já conta com mais de 800 mil assinaturas. Após o ato na UFRGS, a caminhada será retomada e seguirá até o Palácio Piratini.

A mobilização é uma reação organizada da sociedade para defender a democracia e barrar a onda golpista de Bolsonaro (PL), que vem atacando os ministros das cortes superiores e coloca em dúvida a segurança das urnas eletrônicas.