A Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu o dia 28 de abril como o Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho, em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. No Brasil, a Lei 11121/2005 instituiu o mesmo dia como o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

Segundo a OIT o Brasil é a 4ª nação do mundo que mais registra acidentes durante atividades laborais. Os registros oficiais somam mais de 700 mil acidentes por ano, entre os quais incapacitam total ou parcialmente. Esses dados consideram somente os trabalhadores com carteira assinada e sabemos do alto índice de subnotificações, ou seja, esse número certamente é maior.

Somado a isso, tudo indica que o número de acidentes do trabalho e o adoecimento tendem aumentar diante dos grandes retrocessos por qual passa a classe trabalhadora nesse momento no Brasil. O pacote de maldades do Desgoverno Temer traz a reforma trabalhista, que nitidamente protege os empregadores e precariza o trabalho o que irá favorecer o aumento dos acidentes de trabalho.

Ainda tem o limite de gastos por 20 anos na Saúde, desconsiderando o aumento do envelhecimento da população. Essa redução de investimentos no bem maior do povo implicará na redução dos serviços de saúde e o desmonte total do Sistema Único de Saúde (SUS). Ou seja, retrocesso anterior ao antigo INAMPS, quem sabe ao início do século, quando era alta a prevalência de doenças como febre amarela.

Passamos por um período no Brasil que está sendo ferida a dignidade humana. A CTB-RS conclama a classe trabalhadora para juntos resistirmos as perdas de direitos. Para isso é fundamental a unidade, participação e fortalecimento das entidades sindicais. 

#JuntosSomosMaioresQueOsNossosDesafios