No último final de semana, entre os dias 24 e 26/5, ocorreu a 8ª Conferência Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, no auditório Araújo Viana. A CTBRS participou ativamente de todas as etapas.

É provável que essa conferência estadual tenha sido uma das maiores no Estado, foram 3.500 participantes entre delegados e convidados, de 406 municípios gaúchos, que encaminharam 10.000 propostas dos eixos da saúde como direito, consolidação dos princípios e financiamento do Sistema único de Saúde (SUS).

São muitos os desafios diante dos ataques aos princípios e diretrizes do SUS, que buscam uma contratação social para esse direito aos moldes anteriores a 1988 (ou seja, só tem direito a saúde quem tiver condições de pagar) e mesmo os desafios em torno da formulação de políticas públicas que possam desenvolver o SUS, na direção da superação de seus gargalos, que não são poucos.  

Outro grande gargalo é o financiamento. A Emenda Constitucional do Teto de Gastos Públicos, a EC 95, congelando o financiamento até o ano de 2036, afetando a vida cotidiana da população ao reduzir a capacidade de garantia das políticas sociais, particularmente da saúde, dando lugar para a formação de superávit primário para pagamento de juros e amortização da dívida pública.

A CTBRS contribuiu ativamente para os debates nos grupos de trabalho.

Para a etapa nacional foram eleitas as companheiras Célia Chaves, Irene Prazeres e Rosane Simon. Companheiro Milton Brasil (Fetag) integrante da mesa diretora CESRS foi eleito delegado suplente. E Debora Melecchi (diretora pasta saúde CTBRS) e Elgiane Lago (secretária saúde CTB nacional), ambas conselheiras nacionais de saúde, são delegadas natas.

As propostas eleitas para a etapa nacional podem ser acessadas AQUI.

Sugerimos que acessem o link do Conselho Estadual de Saúde/RS, clicando aqui, para assistir as transmissões realizadas nos respectivos dias da conferência.