Mais de 100 dirigentes sindicais de todas as regiões do estado solicitam a deputados estaduais, em reunião virtual, a aprovação imediata do PL 35/2020, encaminhado pelo governo do estado ainda no início de março à Assembleia Legislativa. O referido projeto já tem parecer favorável do deputado Frederico Antunes do PP na CCJ. O mesmo estabelece um reajuste de 4,5%, equivalente a inflação do último ano, elevando o valor do piso de R$ 1.237,15 para R$ 1.292,82.

Para Guiomar Vidor, presidente da CTB e da FECOSUL, esses valores representam apenas a inflação do período e servem para manter o poder de compro dos salários de mais de 1,5 milhão de trabalhadores e trabalhadoras, como domésticos e outros que não possuem representação sindical ou aqueles representados por entidades menores ou de categorias mais frágeis.

Vidor afirma, ainda, que estados como Paraná e Santa Catarina, concederam ainda em janeiro, reajustes de 5,86% e 4,96% respectivamente, o que retira o argumento empresarial de que o reajuste geraria um prejuízo competitivo com economias concorrentes do nosso estado. Outro dado que desmonta o argumento empresarial, dos que defendem sua extinção, é que em outras economias semelhantes que não adotam o Piso Regional, como MG, o crescimento econômico e o nível de emprego são menores do que os apurados em nosso estado.

Outro destaque feito pelo dirigente da CTB, foi de que o Salário Mínimo Regional, por atender as categorias mais frágeis, torna-se instrumento fundamental na distribuição de renda e indutor do consumo e do desenvolvimento da economia local. Participaram do encontro virtual os deputados Elton Weber, Frederico Antunes, Gerson Burmann, Pepe Vargas, Neri o Carteiro e Geferson Fernandes. Também o DIEESE esteve presente na reunião.

Nos próximos dias, as centrais sindicais intensificarão as mobilizações nas regiões de cada parlamentar, para garantir a votação e aprovação do referido projeto nas próximas semanas.