Na tarde de hoje (31), Centrais Sindicais estiveram reunidas com o Secretário da Casa Civil, Otomar Vivian, para entregar a pauta das entidades com relação ao reajuste do Salário Mínimo Regional. As centrais pediram que o projeto fosse enviado em regime de urgência para a votação dos novos valores pelos deputados na ALERGS.

Segundo o presidente da CTB-RS, Guiomar Vidor, o reajuste solicitado é de 8,43%, ficando o salário em R$ 1.297,40. "Esse índice correspondente a 4,61% concedido ao Salário Mínimo Nacional somado a 3,65%, que é a diferença entre a relação do menor piso e o Salário Mínimo vigente entre os anos de 2002 e 2018", explicou.

No encontro, o secretário do Estado ouvir as ponderações das centrais e, nos próximos dias, deverá ouvir as entidades patronais. Otomar Vivian assumiu o compromisso de encaminhar o projeto à Assembleia ainda no mês de fevereiro.

Vidor lembrou ainda, que o Mínimo Regional beneficia, hoje, mais de 1,5 milhão de trabalhadores, urbanos e rurais. "Esses trabalhadores são os que menos ganham e também os que mais necessitam do Estado como instrumento de equilíbrio social", aponta.

O presidente da CTB-RS ainda destaca que valorizar o Mínimo Regional significa aumentar o consumo, o desenvolvimento e a distribuição de renda.

Além da conversa com o chefe da Casa Civil, as Centrais solicitarão audiência com o futuro presidente da ALERGS e com todas as bancadas, com objetivo de apresentar a pauta e buscar apoio, uma vez que a palavra final sobre o reajuste é dada pelo deputados do Estado.

Texto: Assessoria de Comunicação CTB-RS