No dia 7 de abril, data que marca o Dia Mundial da Saúde, as centrais sindicais e movimentos sociais promovem ato unificado, em frente a prefeitura de Porto Alegre, às 9h30, em defesa da vacinação imediata de toda a população.

Também são pautas defendidas pelo movimento:

- Quebra das patentes
- Emprego
- Auxílio Emergencial de R$ 600
- Fora, Bolsonaro

De acordo com Guiomar Vidor, presidente da CTB-RS, entidade que integra o ato do dia 7: “Diante dos números de vítimas da covid-19, nunca se fez tão importante a luta em defesa da vacina já para todos. A vacinação é a única solução definitiva para voltarmos a normalidade”, apontou. Vidor destacou a importância da quebra das patentes. "A quebra das patentes é uma forma de garantir a produção de vacinas suficientes para dar conta de uma vacinação urgente e em todos os países", disse.

O dirigente ainda ressalta o papel nefasto e negacionista de Bolsonaro. “Bolsonaro tem negado a pandemia, negado a necessidade da vacinação e isso tem custado vidas. Temos que garantir a vacinação de toda a população o mais rápido possível, garantir emprego, direitos, renda emergencial de R$ 600 para aqueles que mais precisam e que o Brasil caminhe no rumo certo, cuidando da sua gente”, afirmou.