Nesta quinta-feira (6), a CTB-RS, representada pela sua diretora Débora Melecchi, participou de plenária do Conselho Estadual de Saúde do Estado, que debateu o caos na saúde no RS. Em sua fala, Débora iniciou destacando alguns números: o Estado do RS não repassou R$ 630 milhões aos municípios, em torno de R$300 milhões aos hospitais filantrópicos; está em atraso no pagamento aos fornecedores, como para medicamentos, R$100 milhões; são 30 hospitais fechados. "Os dados demonstram que estão ferindo a dignidade humana, está sendo rompido o pacto democrático, desrespeitam a saúde como direito", apontou a diretoria.

Ainda em sua fala, destacou três aspectos:

1 - Financiamento. Segundo dados do Conselho Nacional de Saúde, empenhos a pagar em 2017 passa dos quatorze milhões, após a implementação da EC 95, atingindo mais de 30 milhões de pessoas desassistidas. Se faz obrigatório a revogação da EC 95, e a aplicação de alternativas já amplamente debatidas, como revisar a dívida pública, as renúncias fiscais e a reforma tributária. Ainda, acima de tudo, falta a gestão assumir seu dever diante da população. E do controle social apoiar a emenda n° 3 do PLC 78/18, no repasse de 50% do pré-sal à saúde e à educação.

2 - Retomar o debate de novas formas de gestão do SUS, acumuladas desde a 15ª Conferência Nacional de Saúde, de se ter uma autarquia, com a representação das três instâncias de governo.

3 - Participação efetiva na construção da 16ª Conferência Nacional de Saúde, com unidade, resistência contra os retrocessos e na defesa da democracia e do SUS.