A última sexta-feira, 25 de outubro, foi dia de homenagens aos sapateiros de Campo Bom, que foram homenageados pelo Sindicato dos Sapateiros com uma exposição fotográfica, na sede da entidade e um ato com importantes representações da cidade.

O dia 25 de outubro é uma data importante para a população de Campo Bom e região, pois é quando se comemora o dia do sapateiro, o trabalhador que é um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento econômico deste pedacinho do Rio Grande do Sul. O Estado é um dos maiores fabricantes de calçados do país, que concentra 2,7 mil fábricas de calçados e 96,2 mil sapateiros.

Entre os anos de 1970 e 1980, Campo Bom chegou a ter mais de 15 mil sapateiros. Com as inovações tecnológicas e as sucessivas crises econômicas, esse número teve uma significativa queda e, atualmente, os operários calçadistas do município somam em torno de 5 mil trabalhadores.

O presidente do Sindicato dos Sapateiros e vice-presidente nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil - CTB, Vicente Selistre, destaca a importância dos trabalhadores que movimentam a indústria calçadista e, por consequência, toda a cadeia produtiva do calçado, como as indústrias do couro, plástico, componentes e navalhas, por exemplo, responsáveis pela economia e o desenvolvimento social de toda a região.

Durante o ato, Selistre destacou a necessidade de uma política que volte a privilegiar o desenvolvimento econômico com base na produção, ou seja, privilegiando o trabalho e a geração de bens de consumo. "Somos contrários ao capitalismo baseado no ‘rentismo’, que é o investimento em capital especulativo, sem gerar nenhum emprego, ou seja, não produz nada. Precisamos gerar emprego e produção. Temos orgulho de sermos sapateiros!”, registrou o presidente.

Vicente também disse que a maior homenagem que os trabalhadores podem receber é a preservação do emprego e dos direitos trabalhistas, que vêm sendo aviltados. Lembrou que a política que Bolsonaro e Paulo Guedes defendem, de acabar com direitos e a aposentadoria, inclusive usando o Chile como exemplo, está sendo desmascarada pela revolta popular que está acontecendo naquele país, com milhões de trabalhadores nas ruas denunciando a tragédia que essa política representa para a classe trabalhadora.

“No dia do sapateiro, essa reflexão é importante. Cada momento como esse serve para renovar nossas convicções em defesa do sapato e dos sapateiros e que é preciso lutar para defender o trabalho, o desenvolvimento com geração de emprego e renda, os direitos sociais, trabalhistas e a aposentadora de quem produz as riquezas do país”, afirma Selistre.

Na opinião do presidente do Sindicato dos Sapateiros, a homenagem que os operários calçadistas merecem e precisam é uma sociedade justa, igualitária, democrática com a valorização do trabalho.

Além do presidente Vicente Selistre, representantes de diversas organizações estiveram presentes e prestaram a sua homenagem ao dia dos sapateiros, reconhecendo o papel fundamental da categoria para o desenvolvimento da região. Os convidados exaltaram a necessidade de união entre as categorias de trabalhadores e a defesa do setor calçadista.

Se pronunciaram João Nadir Pires - Presidente da Federação dos Trabalhadores na Indústria do Calçado do Rio Grande do Sul e Presidente do Sindicato dos Sapateiros de Parobé; Luiz Carlos da Silva Machado - Coordenador Geral do Conselho dos Aposentados do Sindicato; Júlio César Lopes da Luz – Representante da CTB - Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Seção Rio Grande do Sul; Músico Paulo Gambim - Presidente da Associação dos Municipários de Campo Bom; os vereadores do PCdoB, Vitor Souza e Tiago Souza; Loeci Machado - Secretária dos Aposentados; Juarez Flor - Representante do Conselho Geral de Base; Regina Knevitz – Secretária da Mulher; e Marcelo da Silveira Freitas (Marcelão Sapateiro) – Representante da corrente sindical SSB.

Sônia Corrêa – Jornalista Mtb 14.178
Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Sapateiros de Campo Bom