Na manhã desta sexta-feira (22), Guiomar Vidor, presidente da Federação dos Empregados no Comércio de Bens e Serviços do Rio Grande do Sul (Fecosul) e Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), acompanhado dos representantes dos sindicatos de Caxias do Sul e região, entregou ao governador do Estado, Eduardo Leite (PSDB), durante palestra na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), uma carta de reivindicações, entre elas o aumento do Salário Mínimo Regional, de 8,43%, passando a valer R$ 1.297,93, após a aprovação.

Para os movimentos sindicais, a valorização do piso regional, significa um instrumento de democratização, distribuição de renda, desenvolvimento e melhoria na qualidade de vida de aproximadamente 3 milhões de trabalhadores gaúchos. Segundo Guiomar Vidor, “foi cobrado do atual governador o envio até o final deste mês (fevereiro), do projeto que estabelece o Salário Mínimo Regional do Rio Grande do Sul, com um percentual defendido pelas centrais de 8,43%”.

Para Nilvo Riboldi, presidente do Sindicomerciários Caxias, “a luta pela valorização do piso regional é fundamental, principalmente para as categorias que, ao contrário dos comerciários, não têm uma Convenção Coletiva forte, que garante muitos direitos aos trabalhadores e, um piso da categoria”.

Além do aumento do Mínimo gaúcho, a carta de reivindicações entregue também solicitou a inclusão de novas categorias, ainda não contempladas, com a criação de novas faixas; alteração de faixas de categorias que representam; acrescentar o piso na Constituição do Estado, estabelecendo critérios de reajuste; e, a inclusão, através de lei, da garantia do piso como vencimento mínimo dos servidores públicos estaduais.

Estiveram presentes na entrega da carta de reivindicação o Sindicomerciários Caxias, Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região; SINTRAHTUR; Sindiref; Sindicato dos Gráficos; Sindicato dos Rodoviários; Sindilimp; Sindisaude; Fecosul e CTB.

Texto e foto: Rodrigo Positivo