A FETAG realizará nesta sexta-feira (24/11), novas mobilizações com produtores de leite. Desta vez será em duas frentes: Teutônia e Palmeira das Missões, ambas com início previsto para as 9h e com a expectativa de reunir mais de 3.000 pessoas. A última manifestação ocorreu no dia 14 de setembro, em Jaguarão, quando cerca de mil produtores ocuparam a Ponte Internacional Barão de Mauá, divisa Brasil com Uruguai, porta de entrada de toneladas de leite em pó do país vizinho. Após ter sido suspensa por 20 dias, as importações voltaram em ritmo normal.

O presidente da FETAG, Carlos Joel da Silva, lamentou que embora todas as ações que a Federação promoveu, quase nada foi resolvido pelos governos estadual e federal. As importações foram retomadas, houve anúncio de compras governamentais para enxugar o mercado, mas não foram efetivadas. “O preço pago ao produtor, embora o Sindilat tenha dito que começava a reagir, não ocorreu melhora até o momento. Diante de todos esses fatos, precisamos resolver o problema da produção”, destacou.

Para tanto, continua o dirigente, é preciso aquisições governamentais, a criação de cotas de exportação para o Uruguai ou a retirada do leite da pauta do Mercosul e as indústrias voltarem a valorizar o preço pago ao produtor. “Não é possível manter a atividade com o produtor recebendo abaixo do custo de produção. Faremos duas manifestações pacíficas, característica de nossa Federação, mas, ao mesmo tempo, muito forte para mostrar que o produtor está pedindo socorro. É hora das prefeituras, dos governos do Estado e federal, bem como as indústrias e cooperativas olharem e protegerem esse agricultor. Muita gente já desistiu da produção leiteira e não queremos que mais pessoas abandonem a atividade”, completou.

Fonte: Fetag-RS