"A FETAR-RS deu hoje mais um importante passo para acabar,  de uma vez por todas, com o trabalho em condições análogas à escravidão no Rio Grande do Sul". Essa é a avaliação de Sérgio Poletto, 2º Secretário da FETAR-RS (Federação dos Trabalhadores Assalariados Rurais no RS), que está em Brasília, onde participou pela manhã de uma Audiência Pública sobre Trabalho Escravo na Câmara dos Deputados.
O pedido da audiência foi do deputado Vilson Luiz da Silva, mais conhecido como Vilson da Fetaemg, de Minas Gerais, com Gabriel Bezerra dos Santos, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados Rurais (CONTAR), que estão alarmados, bem como as demais Federações de Trabalhadores, com o crescente número de casos de trabalhos forçados em todo País.

Deputado Heitor Schuch (PSB-RS)
Poletto falou sobre o aumento dos casos no Rio Grande do Sul, enfatizando a falta de fiscalização. "Todos os órgãos de fiscalização estavam aqui presentes nesta audiência pública e sentiram a necessidade de ações. Não se pode desconectar o RS do restante do Brasil. Assim, demos o primeiro passo e esperamos que o segundo se materialize nos encaminhamentos", concluiu.


Assessoria de Imprensa: Luiz Boaz