Representantes da Fecosul, do SindiComerciários de Ijuí e Sindicato da alimentação de Santo Ângelo estiveram reunidos na manhã de hoje, na sede da Cotrijui, com o representante do interventor judicial na cooperativa, Carlos Homero. A intenção do encontro foi a de explanar os problemas que os trabalhadores estão enfrentando com as últimas gestões e verificar como o processo de intervenção pretende solucionar o passivo trabalhista da empresa. Houve atrasos nos salários, há atrasos no pagamento de férias e do 13º. Há também atraso em parcelas de rescisões de contrato de trabalho que foram negociadas com trabalhadores demitidos. “Estamos, na medida do possível, buscando o maior número de informações e buscando acompanhar o processo de perto, na intenção de resguardar os trabalhadores e garantir que o passivo trabalhista seja resolvido o quanto antes”, explicou Ari José Bauer, Presidente do SindiComerciários.

Segundo Carlos Homero, o processo em curso ainda é o de avaliação e a solução de algum débito depende da entrada de recursos. Neste dia 8, encerra-se o prazo para o recebimento de propostas de arrendamento de unidades da Cotrijui, com a possibilidade inclusive de que todas as unidades sejam arrendadas. Caso isso aconteça, haverá adiantamento de valores referentes ao arrendamento. “Colocamos nosso desejo de que parte desse adiantamento venha para diminuir o débito que a empresa tem com os trabalhadores”, garantiu Bauer.

Outra preocupação colocada aos interventores têm a ver com o futuro dos trabalhadores na empresa. “Há muita apreensão nossa e dos trabalhadores em relação ao futuro, buscando garantir os postos de trabalho que já estamos perdendo no processo. Colocamos a necessidade de que, nos arrendamentos, haja a preocupação em realocar os trabalhadores, aqueles que tenham esse desejo, nas empresas arrendatárias”, disse Rosane Simon, diretora.

Além da presença de Ari Jóse Bauer, Rosane Simon e do Assessor Jurídico Luiz Carlos Vasconcellos, estiveram presentes o Secretário de Relações do Trabalho da Fecosul, Luiz Fernando Lemos, o presidente e o vice-presidente do Sindicato da Alimentação de Santo Ângelo, Alex Durães Barbosa e Flávio de Ávila Severo, acompanhados do Assessor Jurídico da entidade Paulo Leal. O Sindicato de Santo Ângelo tem em sua base a cidade de São Luiz Gonzaga, onde a cooperativa tem uma unidade.

Carlos Homero pediu um prazo de 20 dias em função do processo burocrático referente aos arrendamentos de unidades e uma reunião está pré agendada neste prazo, para encaminhamentos. “Infelizmente nossa compreensão é de que há uma preocupação muito grande com a gestão de números e quase nenhuma com a gestão das pessoas que neste momento, junto com seus familiares, estão passando toda sorte de dificuldades” ponderou Rosane Simon.

Processo no judiciário também preocupa

Ainda na última segunda-feira (5), Ari Bauer, Rosane Simon e Luiz Carlos Vasconcelos foram recebidos pelo Juiz Diretor da 1ª Vara Cível de Ijuí, Guilherme Eugenio Mafassioli Corrêa. A Direção buscou informações de como anda o processo judicial e se há nele alguma salvaguarda em relação ao passivo trabalhista. Dr. Guilherme Corrêa limitou-se a informar que o processo é público e que todas as informações necessárias estão nele contidas.

“Nós vamos acompanhar tudo. Há uma crise humanitária neste processo e o lado humano, do trabalhador, está em segundo plano, já não é de hoje. Estamos estudando medidas que podemos tomar para tentar o quanto antes, solucionar estas e outras questões, mas no momento, vamos aguardar o resultado do processo de arrendamento para darmos os próximos passos”, concluiu Ari Bauer.