Na manhã de hoje(28) a FETAG-RS, representada pelo presidente Carlos Joel da Silva, diretor Olir Schiavenin e o assessor de política agrícola Kaliton Prestes, acompanhados do Deputado Estadual Elton Weber e o Deputado Federal Heitor Schuch estiveram no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA e na Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário – SEAD.

No MAPA a comitiva foi recebida pelos diretores da secretaria de política agrícola do ministério, quando a FETAG-RS entregou pauta voltada a disponibilização, através da CONAB, de milho balcão com valor subsidiado para alimentação dos rebanhos do gado de leite e corte nos municípios atingidos pela seca, como também nos atingidos nos últimos dias por tempestades. Ainda, como tema central da discussão reiterou a importância da compra institucional de 50 mil toneladas de leite para equilibrar o setor no estado, que enfrenta severa crise.

Em reunião na SEAD com a participação do Secretário Adjunto - Jefferson Coriteac e sua equipe técnica, a demanda da FETAG-RS foi vinculada a prorrogação dos financiamentos de investimento e custeio com um rebate de 20%. Como também, a criação de uma linha emergencial de crédito para os agricultores que tem dívidas nas empresas e cooperativas, mas estão descapitalizados.

Outra pauta discutida nas duas audiências refere-se ao novo acordo que o governo federal está fazendo com o Mercosul e União Europeia, que impactará diretamente e negativamente aos produtores de leite, vinho e uva. FETAG-RS solicitou a ampliação da discussão com a comissão que trata do assunto. SEAD e MAPA solicitaram período de uma semana para dar retorno aos pedidos realizados, especialmente em relação as resoluções que trataram sobre linhas de crédito emergencial e prorrogação de dívidas.

Carlos Joel pondera que as duas audiências foram positivas, “nas duas reuniões, tanto no ministério quanto na Secretaria, houve comprometimento dos órgãos para atender as demandas solicitadas. Contudo, pedimos urgência para que sejam atendidas em especial as áreas atingidas pela seca. Não dá mais para esperar, os agricultores clamam por socorro”.

Fonte: Assessoria Fetag-RS