Nesta terça-feira (12), na sede da Fetar-RS em Porto Alegre, aconteceu o II Seminário de Segurança e Saúde do Trabalhador Rural, promovido pela entidade. O evento, que contou com a participação de representantes do Ministério Público do Trabalho no RS, do Ministério do Trabalho, do Fundacentro, do Sinditest/RS e demais lideranças sindicais do setor, pelas palavras do presidente da Fetar-RS, Nelson Wild, foi um momento histórico.

“Nunca antes na organização dos assalariados rurais do Rio Grande do Sul se chegou ao estágio que vivemos hoje. Temos um número significativo e qualitativo de entidades pensando a problemática do assalariado rural, sua saúde e segurança”, apontou.

O presidente da Fetar-RS também aproveitou a ocasião para saudar os parceiros que compõem o grupo de debate e destacar que a temática da saúde e da segurança são prioridades para a entidade.

Nilson Laucksen, presidente do Sindicato dos Técnicos em Segurança do Trabalho do RS (Sinditest/RS), foi um dos palestrantes do Seminário, com o tema: prevenção como um direito do trabalhador. Neste sentido, destacou a necessidade de haver mais diálogo com os empregadores, tratando da segurança e da saúde dos trabalhadores como algo que todo mundo se beneficia, isto é, mostrando vantagens para todos. Laucksen ainda apontou como caminho a promoção de ações descentralizadoras sobre tema.

“Nós temos que tirar nossa discussão e informações deste grupo e expandir. Não adianta falarmos para nós mesmos, precisamos multiplicar o acesso à informação e promover ações que levem o tema da segurança e saúde do trabalho, isto é, o bem-estar, para as famílias e para dentro da escola rural”, destacou.

O procurador do Ministério Público do Trabalho no RS (MPT/RS), Rogério Fleischmann, acompanhou a atividade e propôs que fosse criado um grupo de trabalho, que pudesse estar em constante contato para ainda em dezembro ou início de 2018 começar a se reunir e traçar uma estratégia coletiva de combate e conscientização.

O chefe da seção de segurança e saúde da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio Grande do Sul (SRTE/RS), Sérgio Garcia, também foi palestrante e trouxe dados de recente pesquisa que apresenta em números a falta de segurança dos trabalhadores assalariados rurais.

No último momento do encontro, o grupo aprovou o pré-projeto de uma cartilha sobre agrotóxicos, que tem no seu conteúdo riscos e também cuidados que o trabalhador precisa ter no seu manuseio. O informativo é assinado pelo coletivo e tem previsão para ser impresso ainda em dezembro deste ano.

Texto: Juliana Figueiró Ramiro | Assessoria de Comunicação Fetar-RS