As comemorações alusivas a 8 de Março – Dia Internacional da Mulher – organizadas pela FETAG e o conjunto do Movimento Sindical dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais (MSTTR) estão em andamento. Nada menos do que 60 mil pessoas devem participar, até o final do mês, de aproximadamente 40 eventos, em âmbito municipal e regional. Vários temas colocados em pauta, entre eles 2018 ter sido declarado pela ONU como Ano Internacional da Mulher Rural; o lançamento da Marcha das Margaridas 2019; a importância da família e da agricultura; a falta de renda na propriedade advinda das dificuldades enfrentadas nas lavouras de arroz, na produção de leite, na estiagem na Metade Sul; a Violência contra a Mulher; o resgate histórico da caminhada da mulher e com ela os 30 anos da Constituição Federal; a Previdência Social e a luta para os rurais ficarem fora da reforma previdenciária; a Sindicalização da Mulher, entre outros assuntos.

A coordenadora estadual de mulheres da FETAG, Lérida Pivoto Pavanelo, lembra que o 8 de Março tem um significado todo especial para a história de lutas e conquistas da organização das mulheres no Rio Grande do Sul. “Foram inúmeras vitórias que as mulheres trazem para esses eventos em todo o Estado. Também possibilita realizar uma reflexão sobre o importante processo que o movimento sindical fez na vida das famílias que trabalham e vivem no meio rural. Mesmo com todos os problemas existentes, é necessário comemorar que temos um sindicato forte, atuante e que faz a diferença na vida de nossa categoria de trabalhadores rurais. Temos certeza que a transformação fantástica ocorrida no meio rural se deu por conta da atuação dos nossos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, da FETAG e da CONTAG. Tudo isso é motivo para comemorar o relevante papel que as mulheres a vida inteira fazem em suas propriedades”, completa.

Fonte: Fetag