O Governo de Jair Bolsonaro impõe ao país um projeto ultraliberal que evidencia a sua completa submissão aos interesses comerciais de outros países, do sistema financeiro e das grandes corporações internacionais.

Está em curso uma verdadeira ação de guerra contra o povo brasileiro que numa primeira ofensiva exterminou por completo todos os programas de inclusão social, atacou a classe trabalhadora eliminando direitos, enfraqueceu as entidades sindicais para “quebrar” a resistência e avançou para destruir o sistema previdenciário, desmantelar o serviço público e desmoralizar os seus servidores.

A milícia do falso nacionalismo agiu sob a cortina de fumaça das queimadas na Amazônia, do vazamento de óleo no litoral nordestino, da escola amordaçada, da universidade vigiada, da cultura sufocada e da ciência humilhada, para agora abrir de vez as fronteiras da soberania nacional, vendendo as maiores e principais empresas de energia e tecnologia brasileiras.

A Petrobras é uma das maiores empresas de pesquisa, exploração e refino de petróleo do mundo. Ao descobrir o Pré-sal, tornou-se única petrolífera do mundo com capacidade para exploração e extração segura de óleo em águas ultraprofundas, cuja tecnologia é genuinamente nacional e foi desenvolvida por brasileiros. O nosso petróleo e a nossa Petrobras são instrumentos fundamentais para desenvolvimento do País, cumpre papel de regulador interno nos preços dos combustíveis e do gás, além de contribuir com a indústria nacional em diferentes áreas.

Na mesma ofensiva lesa pátria, estão sob o bombardeio constante os Correios, a Casa da Moeda e a Dataprev, empresa pública que fornece toda a infraestrutura e os sistemas para o funcionamento do INSS. Nela, está depositado de maneira inviolável e segura o maior cadastro de dados de pessoas do País. Vender a Dataprev é o primeiro passo para a destruição completa e entrega do sistema previdenciário aos bancos privados, além de uma criminosa violação de dados pessoais dos brasileiros e das brasileiras.

Ante ao exposto, as Centrais Sindicais de forma unificada, denunciam publicamente estes crimes cometidos pelo governo contra o Brasil, conclamando aos brasileiros que defendam a soberania nacional apoiando as greves nacionais e participando dos atos e atividades de resistência e luta em defesa da Petrobras, Correios e Dataprev, enfrentando toda e qualquer ameaça ao patrimônio que é de todos nós.

VIVA O BRASIL DOS BRASILEIROS!

Porto Alegre, 03 de fevereiro de 2020.
 
CTB – CUT – CGTB - CSP/Conlutas – Intersindical – NCST – FS – CSB – UGT - Pública