O XI Congresso Estadual da FETAG, que iniciou hoje (19), abriu a programação com a reinauguração da Galeria de Ex-presidentes da Federação, fato que evidencia a importância que a entidade dá a sua história e, consequentemente, às lideranças que a construíram. As fotos ganharam destaque no terceiro piso da sede, cujo local tem ampla visibilidade para quem acessa o terceiro andar, onde está a diretoria, secretaria, tesouraria e assessorias de Formação, Mulheres, Saúde, Educação, Jovens e Gênero.

O presidente da FETAG, Carlos Joel da Silva, convidou seus colegas de direção, bem como os coordenadores das 23 Regionais Sindicais, para a solenidade, que contou com as presenças de Ezídio Pinheiro, Heitor Schuch, Elton Weber e os representantes de Orgênio Roth (já falecido) e de Plínio Hentz. O presidente e vice da CONTAG, Aristides Santos e Alberto Broch, respectivamente, também prestigiaram o ato.

Antes disso, às 6h30min, a direção, assessores e funcionários da FETAG já estavam prontos para receber os mais de 400 delegados e delegadas de todo o Estado, que vieram participar do XI Congresso Estadual da FETAG em sua sede, que fica na Rua Santo Antônio, 121, em Porto Alegre. Logo após o credenciamento, os participantes do Congresso foram convidados a tomarem seus lugares no auditório para participar do “esquenta” do Congresso, com a diretora Lérida Pivoto Pavanelo e os “violeiros” José Luiz Pieta e Renato Goerck, que animaram os presentes.

Por volta das 10h iniciaram as manifestações dos convidados. O último a falar foi anfitrião Joel, que fez questão de saudar os ex-presidentes da FETAG e afirmou que aquele que desejar contar a história da agricultura no Rio Grande do Sul, obrigatoriamente, precisa mencionar a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado. Ele lembrou que o XI Congresso Estadual da FETAG foi discutido junto às bases, lá nas 23 Regionais Sindicais. “Vocês criaram as pautas que vamos discutir nestes dois dias”, destacou.

Joel disse que o Congresso poderia ser um momento para ficar chorando e reclamando do governo. No entanto, o dirigente enfatizou que isso não será feito. “Acreditamos que podemos mudar o cenário que está aí, pois somos Audaciosos, Corajosos e Decididos”, justificou. Em relação à Campanha do Voto Consciente, a qual a FETAG lançará amanhã (20), ela tem por objetivo mostrar às lideranças sobre a importância do voto em pessoas que se identifiquem de fato com a agricultura familiar.

Após a mesa ser desfeita, foi a vez do consultor em agronegócios Carlos Cogo, fazer a palestra de abertura sobre Conjuntura Econômica. Em sua manifestação inicial ele falou da importância que representa a agricultura familiar não só para o RS, mas para todo o Brasil e, ainda, ao falar sobre corrupção foi direto: “Onde tem mulher tem menos corrupção, simplesmente porque elas têm um maior cuidado com as contas, as receitas e com a família como um todo”, frisou.

À tarde, às 14 horas, será a vez do sociólogo Eliziário Toledo, doutor em Desenvolvimento Sustentável, tratar sobre o tema Que Crise é Essa? Encerradas as palestras começa a leitura e discussão das propostas do Documento-base, com 30 diretrizes, que serão aprovadas ou não. E amanhã (20) segue o trabalho do dia anterior e na sequência ocorre a Assembleia Geral Extraordinária, quando serão apreciadas e votadas as deliberações do Congresso.

Texto e foto: Assessoria Luiz Boaz