A CTB, juntamente com outras centrais sindicais, se reuniu, nesta segunda-feira (19/6), com o senador Lasier Martins (PSD) a fim de discutir a reforma trabalhista que tramita no Senado e promete acabar com importantes direitos da classe trabalhadora brasileira. A reunião aconteceu no escritório do parlamentar na capital gaúcha. O presidente da CTB-RS, Guiomar Vidor, transmitiu ao político a preocupação dos movimentos sindicais com as investidas de Temer e seus aliados contra a segurança e o respaldo que os trabalhadores têm com a CLT.  

Lasier afirmou que votará contra a reforma trabalhista, pois as propostas são descabidas e expõe o trabalhador brasileiro, colocando-o em condições desiguais de negociação com a patronal caso o negociado passe a se sobrepor ao legislado. Outro fato que preocupa o senador é a regulamentação do trabalho intermitente, que altera períodos de prestação de serviços e de inatividade com previsão do empregado ter de pagar multa de 50% caso algo fuja do combinado. “Eu e minha equipe estamos trabalhando para apresentar uma emenda para que essa questão não seja aprovada. Isto é muito grave”, afirmou o senador.


Sobre a votação, Lasier demonstrou preocupação. “O parlamento está entregue ao poder econômico. A maioria vota de acordo com seus financiadores. O meu voto no plenário vai ser contra". Mas a pressão, segundo o senador, é grande. "Ainda há Temer que está distribuindo cargos e liberação de emendas parlamentares. Na semana passada, apenas para a Câmara dos Deputados foi R$ 1 bilhão. Isto é comprar voto. Está aí a imoralidade da política”.

Vidor avaliou o encontro como importante. “Lasier contribui positivamente para que possamos avançar no Senado Federal no sentido de garantir a rejeição desse projeto que traz tantos malefícios à classe trabalhadora. Sabemos claramente a posição do senador Paulo Paim, falamos agora com Lasier e estamos em busca de uma agenda com a senadora Ana Amélia. Seguiremos assim trabalhando para que o direito do trabalho não sofra com as ameaças propostas por Temer e apoiadas pelo empresariado nacional”, declarou o presidente da CTB-RS.

Esta terça-feira (20/6) será mais um dia de intensas manifestações contra a reforma trabalhista. Em Porto Alegre, está previsto ato no aeroporto Salgado Filho a partir das 5h da manhã. Às 17h30, manifestação no Largo Glênio Peres, no centro. Em Brasília, CTB-RS e Fecosul enviaram, nesta segunda-feira, comissão de dirigentes para acompanhar votação e dialogar com senadores.

Texto e fotos: Aline Vargas/CTB-RS