A economia brasileira criou 1.047.914 postos de trabalho com carteira assinada no 1º semestre, queda de 25,9% em relação ao mesmo período do ano passado (quando foram criados 1.414.660 postos), informou nesta segunda-feira (23/7) o Ministério do Trabalho.

Em junho, foram criados 120.444 postos de trabalho. É o pior resultado para o mês desde 2009, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

No acumulado de 12 meses, o Brasil gerou 1.527.299 de empregos com carteira assinada.

No governo, a avaliação é de que a oferta líquida de vagas se manterá em nível elevado em 2012, mas inferior à dinâmica observada em 2011. A indicação oficial é que o mercado de trabalho tende a apresentar desempenho melhor no segundo semestre em comparação ao primeiro devido à perspectiva de maior crescimento da economia na segunda metade do ano.

Na ata apresentada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) na quinta-feira (19/7), o Banco Central informou que a recuperação da atividade econômica doméstica vem ocorrendo de forma "bastante gradual", mas que o cenário central sinaliza um "ritmo de atividade mais intenso neste semestre".


Fonte: UOL (Com informações de Reuters)