Abgail Pereira: o que nos move na Secretaria de Turismo é a inclusão social.

O Rio Grande do Sul tem cinco desafios para o desenvolvimento do turismo no Estado até 2015: implantar um sistema de gestão; preparar o Estado para captar grandes eventos; aumentar a competitividade das regiões; posicionar o Estado no mercado nacional e internacional e fomentar o empreendedorismo, a inovação e a qualificação na iniciativa privada. 


Elaborado pela Secretaria Estadual do Turismo e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Plano de Desenvolvimento do Turismo no Rio Grande do Sul foi apresentado nesta segunda-feira, 28/5, no Palácio Piratini, pela Secretária de Turismo, Abgail Pereira, em evento que reuniu secretários municipais e prefeitos.


O plano analisa os principais desafios do segmento, levando em conta as características próprias do Rio Grande do Sul. Desde a necessidade de implantar um sistema de gestão do turismo, preparar para captação e realização de eventos, aumentar a competitividade entre as regiões turísticas, posicionar o produto gaúcho no mercado nacional e internacional, e fomentar o empreendedorismo e a inovação. 


O material foi produzido tendo como base a Conferência Estadual do Turismo, realizada em 2011 e que teve a participação de 650 pessoas em 11 encontros regionais com diversas conferências temáticas.


Abgail Pereira, que está licenciada da Secretaria Nacional da Mulher Trabalhadora, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), afirmou que este Plano é o resultado de um esforço coletivo dos diversos atores envolvidos na atividade em todas as regiões turísticas do Estado. A ideia é identificar as dificuldades e potencialidades do setor no Estado. 


“Há muitas riquezas que estão escondidas. Por isso, mais do que nunca, é necessário planejarmos como potencializar esta área”, afirmou. “Queremos um desenvolvimento sério e sólido. Cada região precisa se enxergar e fazer o turismo levando como base as suas potencialidades”. O plano divide o Estado em 11 regiões, com 23 microrregiões e identifica 426 municípios turísticos. 


“Com ele, vamos potencializar o turismo do Rio Grande do Sul, como uma atividade econômica em sintonia com o Plano Nacional de Turismo do Brasil, integrando com o Mercosul e com o Conesul. Temos o firme propósito de construir um Rio Grande em que as estruturas, os seus serviços, as oportunidades estejam ao alcance de toda a nossa gente, promovendo a tão sonhada inclusão social. É isso que nos move à frente da Secretaria de Turismo. Esta é a motivação que nós temos para integrar o governo do nosso Estado. Com certeza, através dessas ações, nós vamos projetar o Rio Grande do Sul para o Brasil e para o mundo”, discursou. 


“Quero agradecer a todos e a todas que se envolveram nesse processo e chamá-los a continuar participando da atividade política do nosso Estado. Faço um agradecimento público ao governador Tarso Genro, que acompanhou esse processo, nos estimulando, debatendo conosco e apontando iniciativas para a SETUR buscar este caminho que possibilita um legado que hoje compartilhamos com toda a sociedade gaúcha”, finalizou Abgail Pereira.


Segundo o diretor de Mercados Internacionais do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Marcelo Pedroso, o Rio Grande do Sul torna-se pioneiro ao planejar o desenvolvimento do turismo. “Isso é essencial para que o País esteja pronto e capacitado para receber eventos de grande porte, como a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos”, explicou.


O governador Tarso Genro destacou que o turismo é um segmento importante de desenvolvimento e inclusão social. “Esse plano sucede outros já anunciados, como os de investimentos na estrutura viária, em saneamento, entre outros. “Isso faz parte da capacidade do Estado de captar e potencializar os recursos”. 


O presidente da Assembleia Legislativa, Alexandre Postal, presente no evento, disse que o turismo pode ser chamado de “dinheiro limpo” já que são as pessoas que investem nesta área. “O Estado possui um grande potencial, mas precisa ser mais estimulado”, finalizou o deputado.