A Fetag recebeu nesta terça-feira (24) a confirmação do diretor da Conab, Sílvio Porto, de que a partir da próxima semana deve iniciar a compra de leite em pó em volumes que variam de 2,5 mil a 3,0 mil toneladas junto a indústrias e, especialmente, cooperativas até o final do ano. 


A finalidade é tirar leite do mercado que prejudique os preços ao produtor. O presidente da Fetag, Elton Weber, disse que a notícia é bem vista pela Fetag, até por que os dois últimos meses foram preocupantes, pois houve queda de preço ao produtor. “Se necessário vamos pressionar para que sejam colocados mais recursos para regular o mercado e com isso impedir uma guerra de preços ao produtor”, explica.


Weber adianta que nos próximos dias a Fetag fará uma discussão com as empresas e o próprio Sindilat. “É importante que o governo federal sinaliza de forma positiva a sua ação em relação à compra de leite em pó, inclusive anunciando de agosto a dezembro as aquisições no Programa da Conab”, disse.


Embora não tenha havido uma queda forte de preços ao produtor, começam a surgir os primeiros sinais de redução de valores. Além disso, continua Weber, se constata em muitas redes de atacado, que o preço ao consumidor não está refletindo o que acontece ao produtor. “É importante essa ação da Conab, que tem como objetivo assegurar que o produtor receba uma cotação mais estável”, justifica.


O dirigente lembra que a compra de leite em pó pela Conab é uma reivindicação da Fetag há mais de dois meses, quando o mercado não reagia de acordo com o necessário, além de ser uma pauta constante todos os anos.


Fonte: Assessoria de Imprensa da Fetag-RS