A Fetag aguarda uma definição por parte do governo federal com relação à linha de crédito emergencial no valor de R$ 10 mil para os agricultores familiares atingidos pela estiagem, que afeta mais de 370 municípios gaúchos. 


O presidente da Fetag, Elton Weber, lembra que se não houver rebate é o mesmo que uma linha de financiamento normal, o que não interessa. “O governo precisa oferecer um apoio para a recuperação das famílias, que perderam mais de 80% de suas lavouras”, ressalta.


Weber reforça que, a partir da próxima semana, poderão ocorrer mobilizações ou até mesmo ações mais fortes para que se tenha um posicionamento do governo federal sobre a pauta da seca, por sinal há muito tempo encaminhada.


Fonte: Assessoria de Imprensa da Fetag-RS