Apesar do frio, trabalhadores do grupo Randon paralisaram as atividades e participaram da assembleia realizada pelo Sindicato.

Cerca de 2,5 mil trabalhadores do primeiro turno das empresas do grupo Randon pararam as atividades por cerca de duas horas nesta segunda-feira (16/7). Eles participaram de assembleia realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul para debater questões referentes à Campanha Salarial deste ano. 


Durante o encontro, os dirigentes sindicais convocaram a categoria para a assembleia geral, no próximo sábado (21/7), quando será colocada em votação a proposta que os patrões devem apresentar em nova rodada de negociação, nesta terça-feira (17/7).


O presidente em exercício do Sindicato dos Metalúrgicos, Leandro Velho, aproveitou para desfazer o boato que circulava no interior da fábrica de que a entidade representativa dos trabalhadores fez acordo com o sindicato patronal para a antecipação de 5%. “Os patrões estão faltando com a verdade quando dizem para os trabalhadores que o Sindicato fez acordo para adiantar um índice. Não fizemos acordo algum, pois a nossa pedida é de 10%”.


Velho observou ainda que a Randon promoveu, no mês passado, votação com os trabalhadores, obrigando-os abrir mão de férias. Dois dias após, porém, anunciou investimento de R$  2,5 bilhões em um novo nicho de mercado. Outra contradição do grupo apresentada aos trabalhadores foi a criação de um novo turno de trabalho na unidade de veículos especiais para atender à demanda de mercado, que elevou em 50% o número de trabalhadores. “Estão projetando um crescimento de 20% no volume de veículos comercializados, totalizando mil unidades até o fim do ano, então, onde está a crise?”, questionou.


Em 2011, a Randon faturou 6,4 bilhões, o que representou 14,1% a mais que em 2010. Lucro de 269,1 milhões. Agora, até o final de julho a empresa deve entregar lote de 413 retroescavadeiras vendidas para o Governo Federal, para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).  A venda resultará em R$ 100 milhões de faturamento.


O presidente lembrou ainda que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Equipamentos do Governo Federal vai injetar na indústria nacional R$ 8,4 bilhões. Estes recursos serão investidos na compra de ônibus, retroescavadeiras, caminhões, máquinas agrícolas e ambulâncias, portanto deve beneficiar especialmente as indústrias de Caxias do Sul. “O governo tem beneficiado a indústria, abrindo mão de recursos, então agora na campanha salarial é a hora do  trabalhador ser beneficiado”.


A secretária de Formação da Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil e também secretária de formação da CTB-RS, Eremi Fátima da Silva Melo, convocou os trabalhadores a participarem da assembleia geral que será realizada no próximo sábado (21/7) e, se necessário, paralisarem as atividades no próximo dia 23.  “Precisamos nos unir e lutar. Temos que mostrar para os empresários que, unida, a categoria pode parar esta cidade”.  


A rodada de negociação que seria realizada na última sexta-feira (13/7) foi adiada porque o presidente do sindicato patronal não havia voltado de sua viagem à Indonésia.


Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região