Por volta das 22 horas, os deputados aprovaram a criação da Empresa Gaúcha de Rodovias.
De olho nos interesses dos trabalhadores em transportes rodoviários, nesta terça-feira (12/6), o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região, Tacimer Kulmann da Silva, e o diretor, Ermani Brollo, estiveram na Assembleia Legislativa para acompanhar a votação da criação da Empresa Gaúcha de Rodovias, a EGR. 

Depois de seis horas de discussões, ficou decidido, por 31 votos a nove, que a estatal passa a ser responsável pela administração dos pedágios comunitários. A partir de dezembro de 2013, quando vence o contrato do Estado com as atuais concessionárias, a empresa também passa a responder pelas praças do Programa Estadual de Concessões de Rodovias. 

Enviada ao legislativo em regime de urgência, a proposta foi alterada por uma emenda do líder governista, deputado Valdeci Oliveira, que garante a exploração de pedágios na modalidade pública comunitária, e a participação, na empresa, de entidades representativas de usuários das vias pedagiadas. Também prevê que a receita seja depositada em conta da empresa e revertida em melhorias para a rodovia onde houve a arrecadação. 

Os deputados se estenderam nas discussões. Os oposicionistas consideram a aprovação da criação da EGR um “cheque em branco” ao Governo do Estado, devido à não definição do número de empregados que a empresa terá. Já os governistas, entendem que a proposta vai revitalizar o Daer e acabar com os altos preços cobrados nas praças de pedágio do Estado. Com a aprovação, o governo espera estar com a estrutura funcionando em 10 meses. 

O governador Tarso Genro vai indicar o nome do presidente da estatal. Ainda não está definido o novo valor do pedágio, mas o governo garantiu que será menor que o cobrado atualmente e que a qualidade das estradas vai melhorar. Para o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região, Tacimer Kulmann da Silva, “se bem administrada, a empresa vai gerar os recursos necessários para a manutenção das estradas”. O presidente ressaltou que permanece favorável à retirada da praça de pedágios de Farroupilha.