Presidente Tacimer Kulmann da Silva e diretor Ermani Brollo, do Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região em assembleia com os trabalhadores do Expresso Caxiense.

Em assembleia realizada com os trabalhadores do Expresso Caxiense na sede do Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região, ficaram estabelecidas as novas condições de trabalho e salário para a categoria a serem propostas para a direção da empresa, tendo como data base 1º de junho.


Além da manutenção das cláusulas sociais já existentes, o Sindicato pede reajuste salarial de 15%. Entre as principais reivindicações estão o fornecimento de trinta e cinco tickets alimentação por mês, no valor de R$ 15,00; a ampliação da cobertura do plano de saúde e a extinção do banco de horas.


Outro ponto importante da pauta é a solicitação de estabilidade para os trabalhadores que estiverem a dois anos de completar o tempo que possibilite requerer a aposentadoria. Também está sendo pedido o pagamento do 31º dia dos meses com 31 dias; o fornecimento de cesta básica sem custo para o trabalhador nos casos de licença paternidade e acidente de trabalho; seguro de vida em grupo pago pela empresa no valor de R$ 30 mil e auxílio escolar para funcionários e dependentes. Além disso, os trabalhadores pedem adicional noturno de 60% para os funcionários que exercem atividades das 22 às 5 horas; adicional de 50% para as duas primeiras horas extras e 100% para as demais; um quinquênio de 5% para todos os funcionários que completem cinco anos na empresa sem interrupção; participação nos lucros; adiantamento quinzenal de 40% do salário, pago todo o dia 20 de cada mês; revisão dos horários de buscar em casa para quem viaja nos primeiros horários e respeito às funções para qual cada um foi contratado.

 

Solicitações dos motoristas:

 

Escala que permita fazerem suas refeições com dignidade;

Distinção entre a escala da linha Porto Alegre (rodoviários) e linha do fretamento (saída de fábricas);


Pouso em hotel para descanso pago pela empresa e diárias de viagens fora de escala (viagens especiais);


Autorização para utilizar o estacionamento, dentro da empresa, para motoristas que fazem a linha Porto Alegre no período da noite;


Contrato de mais bagageiros para que os motoristas não tenham que exercer essa função;


Mais atenção da empresa para a manutenção e limpeza dos veículos.


Atualização do valor pago pelo deslocamento, de madrugada, do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, em R$ 80,00.

 

Salários normativos:

 

Motorista rodoviário intermunicipal que executa linhas Caxias–Porto Alegre (7:20 horas) – R$ 1.874,50

 

Demais motoristas (7:20 horas) – equiparação com o salário do motorista da linha Porto Alegre – R$ 1.874,50

 

Cobradores – R$ 992,45

 

Motorista do serviço de fretamento (180 horas) – R$ 1.108,60

 

Motorista do serviço de fretamento (90 horas) – R$ 567,00

 

* Os funcionários cujas funções não se enquadram nos cargos discriminados, terão seus salários reajustados nos mesmos índices concedidos aos motoristas da linha Porto Alegre, independente de faixa salarial.

  

Fonte: Marcele Brusa Maciel - Sindicato dos Rodoviários de Caxias do Sul e Região