O muro do Sindicato se tornou um espaço de arte que resgata um pouco da história da vocação da categoria: a confecção de sapatos.

O Sindicato dos Sapateiros de Campo Bom vem desenvolvendo projetos de cunho cultural visando oportunizar acesso a cultura, bem como, apoiando talentos locais (músicos, artistas plásticos, escritores, atores e outros), além da realização de exposições temáticas que estão acontecendo durante todo o ano. 


O Sindicato através do Conselho Geral vem realizando reformas estruturais visando manter o patrimônio, melhorar as condições de atendimento aos sapateiros e como afirma o presidente da entidade, Vicente Selistre, o dinheiro do sapateiro é sagrado e deve ser canalizado para elevar a qualidade do atendimento, proporcionar agilidade, eficiência e resolutividade. 


Dentre as muitas reformas que estão em andamento na estrutura do Sindicato uma que vem chamando atenção é a pintura do muro externo junto ao prédio administrativo na Rua Carlos Cerino Feltes. Na verdade não se pode dizer pintura, porque literalmente é arte pura e de alta qualidade. No traço do artista Everaldo Vitorino o muro se tornou um espaço bonito, temático e que chama atenção. 


Numa das partes estão os sapateiros que ajudam a escrever a história de Campo Bom, já no segundo espaço a bandeira do Sindicato junto com a da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras - e ao fundo um sapateiro a moda antiga, com esmero e talento semelhante a de um ourives, confecciona junto ao pé de moleque um sapato de forma artesanal. 


Fonte: Site do Sindicato dos Sapateiros de Campo Bom