Vicente Selistre: a CTB nasceu com o princípio fundante à busca permanente e incessante da união entre todos os trabalhadores. O campo-bonense Vicente Selistre que é vice-presidente nacional da CTB, presidente do Sindicato dos Sapateiros de Campo Bom e primeiro suplente de deputado Federal pelos PSB participou ativamente do 5º Encontro Sindical Nossa América (ESNA), encerrado no México no dia 23/5, onde  pode trocar experiências com lideranças sindicais da America Latina, usou da palavra em nome da CTB, no fórum de abertura abordando a temática da unidade dos trabalhadores latino-americanos. Enalteceu o nascimento da CTB em dezembro de 2007, tendo como princípio fundante a busca permanente e incessante da união entre todos os trabalhadores. 

Vicente enalteceu o nascimento da CTB em dezembro de 2007 e a realização do CONCLAT, evento promovido em 2010, com 30.000 representantes da classe trabalhadora reunidos no Pacaembu em São Paulo. Selistre falou também sobre o 1º de maio de 2010 e 2011 nos quais houve a unidade de 5 grandes centrais do nosso país, algo nunca acontecido antes no Brasil.

 

A crise do capitalismo é sem volta

 

Na abertura do ESNA, Vicente Selistre  falou da conjuntura mundial, e do quadro histórico que vive a humanidade com uma crise sistêmica do capitalismo e com a falência da política do estado mínimo dependente de grupos financeiros transnacionais. O presidente alertou também para a  necessidade de pressão sobre os governos nacionais no sentido de maior atenção a transferência de empregos. 

No encontro de acordo com Vicente também mereceu ênfase a luta pela igualdade de gêneros, o internacionalismo da classe trabalhadora e a necessidade de estreitar os laços de solidariedade com as lutas em curso nos países europeus (Grécia, Portugal, Espanha, França, Itália e outros). 


“A militarização promovida pelos EUA e a ingerência imperialista nos países latino-americanos e caribenhos foi outro alvo da crítica dos sindicalistas, que reiteraram a luta contra o bloqueio a Cuba, pela libertação dos cinco patriotas cubanos presos injustamente nos EUA e pelo fim de todas as bases militares do império no continente”, observou Vicente Selistre que também manteve contato com líderes sindicais da Nicaragua e República Dominicana onde empresas calçadista da região do Vale dos Sinos

 

Avanços dos trabalhadores venezuelanos, Lula e Dilma

 

Vicente em sua analise pragmática observou o grande avanço que aconteceu na Venezuela com a recente promulgação da Lei do Trabalho e dos Trabalhadores e Trabalhadoras, que implementou as 40 horas semanais (eram 44), a proibição da terceirização precarizante, a proibição de demissão imotivada. 


O vice-presidente nacional da CTB também salientou a necessidade de que os governos latino-americanos defendam os direitos dos trabalhadores, promovam a integração pautada na soberania e na independência dos povos, mas que avancem no desenvolvimento integrado da America Latina com valorização do trabalho e dos direitos dos trabalhadores, preservação ambiental e respeito aos direitos humanos.


Selistre concluiu registrando: “O governo Lula e agora Dilma, tem demonstrado disposição para fazer mudanças mesmo que a nosso ver estão em ritmo muito lento e insuficiente, todavia devemos registrar providencias importante do nosso governo como a valorização do salário mínimo, o combate aos juros altos praticados pelos banqueiros, o freio na flexibilização”, finalizou Vicente Selistre; vice-presidente nacional da CTB.